A distinção entre geração e aceitação de teorias científicas: um problema para a inferência da melhor explicação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31977/grirfi.v23i3.3548

Palavras-chave:

Inferência da Melhor Explicação; Abdução; Peter Lipton; Aceitação.

Resumo

O argumento da abdução de Charles Peirce, ou raciocínio abdutivo, frequentemente foi identificado na literatura de Filosofia da Ciência com o argumento da inferência da melhor explicação (IBE) de Gilbert Harman. Essa identificação, embora muito comum, foi esclarecida como um equívoco, visto que enquanto a abdução descreve um processo gerativo de teorias, a IBE de Harman trata de um processo seletivo entre alternativas teóricas rivais. Todavia, Peter Lipton, buscando desenvolver IBE, apresentou uma estrutura muito similar à abdução peirciana com a finalidade de oferecer um modelo capaz de descrever tanto os momentos de geração, quanto de seleção de teorias. O objetivo deste artigo é o de mostrar que as duas diferentes concepções de IBE (a de Harman e de Lipton) implicam diferentes concepções sobre a própria noção de aceitação: enquanto Harman deixa a aceitação para uma etapa avaliatória final, Lipton coloca a aceitação no interior do processo de geração de uma produção científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Chiarotti Sardi, Universidade de São Paulo (USP)

Doutorando(a) em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), São Paulo – SP, Brasil.

Marcos Rodrigues da Silva, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Doutor(a) em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), São Paulo – SP, Brasil. Professor(a) da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina – PR, Brasil.

Referências

BARNES, E. Inference to the Loveliest Explanation. Synthese, Berlim, v. 103, n. 2, 251-277, 1995.

BIRD, A. Inferência da única explicação. Cognitio, São Paulo, v. 15, n. 2, 375-384, 2014.

BOWLER, P. The Mendelian Revolution. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1989.

CAMPOS, D. On the distinction between Peirce’s abduction and Lipton’s Inference to the best explanation. Synthese, Berlim, v. 180, n. 3, 419-442, 2011.

CAPONI, G. La Segunda Agenda Darwiniana. Cidade do México: Centro de Estudios Filosóficos, Políticos y Sociales Vicente Lombardo Toledano, 2011.

COLLINS, H. The Seven Sexes: A Study in the Sociology of a Phenomenon, or the Replication of Experiments in Physics. Sociology, Newbary Park, v. 9, 205-224, 1975.

HARMAN, G. Inferência da Melhor Explicação. Dissertatio, Pelotas, v. 47, 325-332, 2018.

KITCHER, P. The Advancement of Science. Oxford: Oxford University Press, 1993.

LATOUR, B. Ciência em ação. São Paulo: UNESP, 2000.

LIPTON, P. Inference to the Best Explanation. 2 ed. London: Routledge, 2004.

MAYR, E. O Desenvolvimento do pensamento biológico. Brasília: UNB, 1998.

MUSGRAVE, A. The Ultimate Argument for Scientific Realism. In: Relativism and Realism in Science. Australasian Studies in History and Philosophy of Science, vol 6. Nola, R. (ed). Dordrecht: Springer, 1988. 229-252.

NULAND, S. A peste dos médicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

PEIRCE, C. Collected Papers, (volumes 1 - 6, ed. by C. Hartshorne and P. Weiss; 7 - 8, ed. by A. Burks.) Cambridge, MA: Harvard University Press (Abreviado CP).

PEIRCE, C. The essential Peirce: Selected philosophical writings 2. Indianapolis: Indiana University Press (Abreviado EP2), 1998.

PSILLOS, S. Scientific Realism: how science tracks truth. New York: Routledge, 1999.

PSILLOS, S. Sobre a crítica de van Fraassen ao raciocínio abdutivo. Crítica, Londrina, v. 6, n. 21, 35-62, 2000.

STANFORD, K. Exceeding our Grasp. Oxford: Oxford University Press, 2006.

THAGARD, P. A melhor explicação: critérios para a escolha de teorias. Cognitio, São Paulo, v. 18, n. 1, 145-160, 2017.

Downloads

Publicado

2023-10-31

Como Citar

SARDI, Gabriel Chiarotti; SILVA, Marcos Rodrigues da. A distinção entre geração e aceitação de teorias científicas: um problema para a inferência da melhor explicação. Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 223–234, 2023. DOI: 10.31977/grirfi.v23i3.3548. Disponível em: https://periodicos.ufrb.edu.br/index.php/griot/article/view/3548. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos