A virtù e a regra: nota sobre Maquiavel

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31977/grirfi.v13i1.694

Palavras-chave:

Virtù; Regra; Maquiavel.

Resumo

O artigo pretende tratar de um tema presente nos Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio, bem como em outros textos de Maquiavel: o dos homens bons plenos de virtù e seu papel na fundação do campo jurídico-político. A primeira questão a ser trabalhada é a do método em Maquiavel. Após, o conceito de virtù será analisado no que se refere a sua importância para a fundação e manutenção jurídico-política da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Carlos Montans Braga, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/ SP), São Paulo – Brasil.

Referências

ARANOVICH, Patrícia Fontoura. Vocabulário de termos-chave de Maquiavel. In: MAQUIAVEL. Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio. São Paulo: Companhia das Letras, 2007, pp. 457-471.

BERLIN, Isaiah. A originalidade de Maquiavel. In: HARDY, Henry e HAUSHEER, Roger (editores). Tradução de Rosaura Eichenberg. Estudos sobre a humanidade: uma antologia de ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2002, pp. 299-348.

BIGNOTTO, Newton. As fronteiras da ética: Maquiavel. In: NOVAES, Adauto (org). Ética. São Paulo: Companhia das Letras/Secretaria Municipal de Cultura, 2003, pp. 113-125.

BIGNOTTO, Newton. A antropologia negativa de Maquiavel. In: Analytica. Revista de Filosofia, Rio de Janeiro, Vol. 12, N.2, pp. 77-100, 2008.

LEFORT, Claude. Maquiavel e a veritá effetuale. In: Desafios da Escrita Política. Tradução de Eliana de Melo Souza. São Paulo: Discurso editorial, 1999, pp. 141-177.

LEFORT, Claude. Les formes de l’histoire: Essais d’anthropologie politique. Paris: Gallimard-folio, 2000.

ESPINOSA. Tratado Político. Tradução de Diogo Pires Aurélio e revisão de Homero Santiago. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

LOGAN, George M.. Introduction. In: MORE, Thomas. Utopia. Cambridge: Cambridge University Press, 2003, pp. xi-xxix.

MAQUIAVEL. Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio. São Paulo: Martins Fontes, 2007. Não consta o nome do tradutor (a).

MAQUIAVEL. O príncipe. Edição bilíngue. Tradução de José Antônio Martins. São Paulo: Hedra, 2011.

MORE, Thomas. Utopia. Tradução de Jefferson Luiz Carmargo e Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

MORE, Thomas. Utopia. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

PLATÃO. A república. Coleção Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 2000.

PLATÃO. A república. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010.

RIBEIRO, Renato Janine. A sociedade contra o social. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento político moderno. Tradução de Renato Janine Ribeiro (capítulo 1 a 11) e Laura Teixeira Motta (capítulo 12 em diante). São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

VALVERDE, Antonio José Romera. Maquiavel: a natureza humana e o reino deste mundo. In: SGANZERLA, Anor; FALABRETTI, Ericson; VALVERDE, Antonio José Romera (orgs.). Natureza humana em movimento: ensaios de antropologia filosófica. São Paulo: Paulus, 2012, pp. 51-61.

Downloads

Publicado

2016-06-18

Como Citar

BRAGA, Luiz Carlos Montans. A virtù e a regra: nota sobre Maquiavel. Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 13, n. 1, p. 109–121, 2016. DOI: 10.31977/grirfi.v13i1.694. Disponível em: https://periodicos.ufrb.edu.br/index.php/griot/article/view/694. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos