Sobre a biopolítica de Giorgio Agamben: entre Foucault e Arendt

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31977/grirfi.v8i2.561

Palavras-chave:

Biopolítica; Agamben; Arendt; Foucault.

Resumo

Pretendemos dar uma breve contribuição para a compreensão do conceito de biopolítica na obra do filósofo italiano Giorgio Agamben, mais precisamente em seu trabalho de 1995, inaugurador da série Homo Sacer, cujo título leva o mesmo nome: Homo Sacer: O Poder Soberano e a Vida Nua. Valendo-se do pensamento de Michel Foucault e Hannah Arendt de um lado, e Walter Benjamin e Carl Schmitt de outro, Agamben faz recuar o conceito de biopolítica às fundações da política ocidental. Importa, para o filósofo, mostrar como estrutura, lógica e topologia de funcionamento a biopolítica anima as relações políticas desde seu fundamento e que a modernidade foi capaz de revelar, transformando radicalmente os espaços políticos contemporâneos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphael Guazzelli Valerio, Faculdade Orígenes Lessa (FACOL)

Mestre em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), São Paulo – Brasil; Professor da Faculdade Orígenes Lessa (FACOL), São Paulo - Brasil.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer. O poder soberano e a vida nua I. Belo Horizonte. Editora UFMG. 2004.

ARENDT, Hannah. A condição humana. 11ª Ed. Rio de Janeiro. Forense Universitária. 2010.

ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo. São Paulo. Companhia das Letras. 1989.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Os Pensadores. 4ª ed. São Paulo. Nova Cultural. 1991.

ARISTÓTELES. Política. Lisboa. Vega. 1998.

BENJAMIN, Walter. Sobre o Conceito da História. In: Magia e Técnica, Arte e Política. 7ª ed. São Paulo. Brasiliense. 1994.

BENJAMIN, Walter. Crítica da Violência – Crítica do Poder. In: Documentos de Cultura Documentos de Barbárie [Escritos Escolhidos]. São Paulo: Cultrix: Editora da Universidade de São Paulo, 1986.

DELEUZE, Gilles. Post- scriptum sobre as sociedades de controle. In: Conversações. Rio de Janeiro. Editora 34. 1992.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. 3ª ed. Rio de Janeiro. Edições Graal. 1982.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. Petrópolis. Vozes. 1983.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I. A vontade de saber. 5ª ed. Rio de Janeiro. Edições Graal. 1984.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade: Curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo. Martins Fontes. 1999

FOUCAULT, Michel. Segurança, Território, População: Curso no Collège de France (1977-1978). São Paulo. Martins Fontes. 2010.

SCHMITT, Carl. Teologia Política. São Paulo. Ed. Del Rey. 2006.

Downloads

Publicado

2013-12-15

Como Citar

VALERIO, Raphael Guazzelli. Sobre a biopolítica de Giorgio Agamben: entre Foucault e Arendt. Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 175–189, 2013. DOI: 10.31977/grirfi.v8i2.561. Disponível em: https://periodicos.ufrb.edu.br/index.php/griot/article/view/561. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos